sábado, 20 de abril de 2024

Prefeito de Inhaúma é absolvido de processo referente à compra suspeita de máscaras durante pandemia da Covid-19

Na quarta-feira (24/01), o prefeito de Inhaúma, Geraldo Custódio Silva Júnior (PSD), o Juninho, foi julgado e absolvido pela Câmara Municipal. A sessão que poderia culminar com a cassação do prefeito estava relacionada à suspeição no processo de compra de máscaras durante a pandemia da Covid-19. O plenário decidiu pela improcedência das acusações e o processo foi arquivado.

Juninho, prefeito de Inhaúma

Votaram contra a cassação os vereadores David Roberto Alves, Leandro Dias dos Santos, Rogério Angelino da Silva, Ângelo Ferreira e Cristiane Aparecida Ferreira de Sousa. Votaram pelo afastamento de Juninho, mas foram vencidos, os vereadores Rodrigo de Carvalho Gomes, Marco Paulo Carvalho Costa, Mário José Vieira e Rogério de Oliveira Costa.

A ACUSAÇÃO

O processo de cassação apontava que as máscaras foram supostamente adquiridas por R$ 28,70 a unidade – segundo o Tribunal de Contas de Minas Gerais – enquanto as máscaras custavam, em média, R$ 8,27 a unidade. A empresa responsável pela venda de máscaras também foi questionada quanto à sua qualificação para comercializar o produto. Porém, a maioria dos vereadores decidiram pela absolvição do prefeito Juninho.

OUTRO CASO

O prefeito foi alvo de cassação em outro vaso. Relembre nos links abaixo:

Anuncio #1
Anuncio #2
Anuncio #3