segunda-feira, 15 de julho de 2024

Conheça mais sobre Cordisburgo

Foto: Blog Pelas Estradas de Minas

Cordisburgo é um município do estado de Minas Gerais com área territorial de 823,654 km². Sua população estimada em 2022 pelo Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE) é de 7.547 habitantes. As pessoas que nascem em Cordisburgo são chamadas de cordisburguense. Cordisburgo é a cidade natal do escritor Guimarães Rosa.

A cidade foi desbravada pelos bandeirantes que viajavam pelos sertões da região calcária das Sete Lagoas onde está localizado o município de Cordisburgo. Posteriormente, pequenos fazendeiros se apossaram de terras hoje pertencentes ao território municipal. Foi o Padre João de Santo Antônio, em meados de 1883, chegando na região conhecida como Sesmaria Empoeiras (algumas fontes citam o nome Arraial do Saco dos Cochos), que no cumprimento de seus deveres de Pastor, deixou o Colégio Macaúbas, no Município de Santa Luzia do Rio das Velhas, atualmente Santa Luzia, empreendendo viagem ao longo do sertão mineiro devido às condições favoráveis, fundando uma povoação no local.

Aportando à região, onde hoje se acha a cidade de Cordisburgo, o Padre João de Santo Antônio ficou seduzido pela paisagem montanhosa, clima agradável e pela pureza das águas dos ribeirões, passando a denominar a região de “Vista Alegre”. Padre João necessitava de uma área para fundar uma povoação e aquela que escolheu estava em litígio. Foi aí que resolveu apelar para Dona Policena Mascarenhas, senhora de grandes posses, que enviou seu filho Bernardo Mascarenhas para arrematar aquela área de 40 alqueires de terras, que hoje representa o perímetro urbano da cidade. Na época, as terras estavam prestes a cair em mãos de autoridades, mas foram transferidas em escritura pública ao sacerdote.

Em 21 de agosto de 1883, iniciava a formação do Arraial de Vista Alegre, com a edificação da Capela dedicada ao Patriarca São José, cujo levantamento dos esteios teve início no dia 14 de fevereiro de 1884 e sua conclusão em 23 de junho do mesmo ano. Acompanhado do Padre Pedro Corrêa Ferreira Rabelo, em 14 de setembro de 1884, e de habitantes das redondezas de Vista Alegre, foi conduzida de Taboleiro Grande (hoje município de Paraopeba), a imagem do Patriarca São José para a nova povoação.

Na mesma época, o Padre João mandou vir da França uma imagem do Sacratíssimo Coração de Jesus. Quando chegou, uma procissão foi buscá-la em Gongo-Sôco e assim nasceu a ideia de construir um templo para acolhê-la. O lugarejo cresceu e, em 27 de abril de 1885, deu-se início à construção da Igreja do Sagrado Coração de Jesus.
Em 12 de maio de 1894, há quem diga que foi dia 20, com o término do douramento da Igreja do Sacratíssimo Coração de Jesus, deu-se por concluída a construção desse templo. Nesse dia, houve uma benção na igreja e o Padre João trouxe, em procissão, a imagem do Padroeiro que tinha vindo de Paris e aguardava, na Capela do Patriarca São José, o término da construção de seu Templo. Em 18 de outubro de 1895, o Padre João doou à Diocese de Diamantina uma área de terra, compreendida a Povoação de Cordisburgo da Vista Alegre e seus arredores. Sentindo-se alquebrado, recolheu-se novamente à Comunidade de Macaúbas, fazendo doar à Igreja Sagrado Coração de Jesus, tudo aquilo que pode adquirir em 12 meses. Padre João de Santo Antônio faleceu em 15 de setembro de 1913, sendo homenageado pela população com um culto de respeito e gratidão.

Devido a precária condição física, a matriz foi demolida e sua reconstrução foi finalizada em 24 de junho de 1960. A evolução de Vista Alegre foi se acentuando sendo em 1890, o Arraial de Coração de Jesus da Vista Alegre, elevado a distrito, mudando na ocasião para Cordisburgo da Vista Alegre. Em 1923 o nome foi mudado para Cordisburgo.

A palavra Cordisburgo é a junção do latim Cordis (coração) com o alemão Burgo (aldeia/cidade), significando cidade do coração em homenagem ao padroeiro da comunidade, Sagrado Coração de Jesus.

Prefeito Padre Maurício

Quadro político
Prefeito Padre Maurício
Vice-Prefeito Aldair Cristaleiro
O atual prefeito é José Maurício Gomes (PT) e o vice Aldair Marques Martins (PROS). Os vereadores eleitos no último processo eleitoral (2020) foram: Paraqueda (Solidariedade), Edmar do Ki Barato (PT), Ney do Arraial do Conto (PT), Altivo (PSD), Caiano (PROS), Sávio Trombini (PROS), Fausto do Laticínio (MDB), Laci da Saúde (DEM) e Erivelton dos Santos do Maquine (DEM).

Trabalho e média salarial
Em 2021, o salário médio mensal era de 1.6 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 8.6%. Na comparação com os outros municípios do estado, ocupava as posições 524 de 853 e 715 de 853, respectivamente. Já na comparação com cidades do país todo, ficava na posição 4529 de 5570 e 3919 de 5570, respectivamente. Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 37.3% da população nessas condições, o que o colocava na posição 428 de 853 dentre as cidades do estado e na posição 3128 de 5570 dentre as cidades do Brasil.

Meio-ambiente
Apresenta 32.2% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 79.4% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 11.2% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio). Quando comparado com os outros municípios do estado, fica na posição 712 de 853, 223 de 853 e 568 de 853, respectivamente. Já quando comparado a outras cidades do Brasil, sua posição é 3002 de 5570, 2448 de 5570 e 2667 de 5570, respectivamente.

Alguns atrativos
Gruta do Maquiné
Uma das mais belas grutas do mundo e considerada o berço da paleontologia brasileira, a Gruta do Maquiné possui belas esculturas naturais e estalactites de diversas formas no teto da caverna. Descoberta em 1825, por um fazendeiro local, seu uso começou como abrigo para as comunidades pré-históricas. Essas comunidades não tinham o hábito de entrar nas zonas escuras, mas utilizavam as entradas das grutas como áreas protegidas. A existência de pinturas rupestres e de outros vestígios arqueológicos são indicadores desses usos. A Gruta de Maquiné possui aproximadamente 650 metros de galerias e sete salões explorados e preparados com iluminação e passarelas, que possibilitam aos visitantes vislumbrarem, com segurança, as maravilhas de Maquiné, onde todo o percurso é acompanhado por um guia local. Pode-se visitar o Salão do Vestíbulo, o Salão das Colunas, do Trono, do Carneiro, dos Lagos, das Fadas e do Dr. Lund.

Foto: Turismo Minas Gerais

Cachoeira do Fio
A cachoeira do Fio está localizada em propriedade particular, no Povoado da Onça, lugarejo charmoso, repleto de belas paisagens montanhosas, com as irradiantes cores do sertão. A Cachoeira é formada pelas águas do Córrego Tamburil que mais a frente vão desaguar no córrego do Onça. Na propriedade que dá acesso a cachoeira pode-se contemplar um casarão muito antigo e uma ótima receptividade dos moradores. Atraí muitos visitantes devido a sua proximidade da cidade.

Foto: Turismo Minas Gerais

Museu Casa Guimarães Rosa
Localizado na bucólica cidade de Cordisburgo/ MG, o Museu Casa Guimarães Rosa é uma instituição dedicada à preservação da memória biográfica e literária de um dos maiores escritores da literatura nacional. Os documentos, fotografias e objetos do acervo do Museu refletem aspectos da vida pessoal de Guimarães Rosa, além de sua atuação profissional como médico, escritor e funcionário do Ministério das Relações Exteriores. O Museu Casa Guimarães Rosa está instalado na casa onde Guimarães Rosa nasceu e viveu os primeiros anos de sua infância (1908 – 1917). O edifício é composto pela residência onde a família Guimarães Rosa habitava e pela venda mantida pelo pai do escritor, “seu” Florduardo, ou simplesmente “seu Fulô”. No Museu, o visitante tem a oportunidade de conhecer o universo mágico do sertão mineiro, onde Guimarães Rosa nasceu e se formou. Da infância na “Venda do Seu Fulô”, onde ouvia as histórias fantásticas dos vaqueiros e fregueses de seu pai, à atuação como Cônsul no Rio de Janeiro, Hamburgo, Bogotá e Paris, a vida do escritor está retratada no acervo, nas exposições e nas ações que o Museu desenvolve. Atualmente, o Museu Casa Guimarães Rosa exibe a exposição de longa duração Rosa dos Tempos, Rosa dos Ventos, que proporciona uma imersão nos espaços residenciais da Família Guimarães Rosa e na literatura de seu membro mais ilustre. O universo rosiano e sertanejo se mesclam oferecendo ao público uma mostra da genialidade de Guimarães Rosa como escritor, médico, cônsul, pai, filho, marido e membro da Academia Brasileira de Letras.

Foto: Turismo Minas Gerais

Fontes: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/cordisburgo/historico,
https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia/2021/01/01/prefeito-e-vereadores-de-cordisburgo-tomam-posse-veja-lista-de-eleitos.ghtml,
https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/cordisburgo/panorama e https://www.minasgerais.com.br/pt/destinos/cordisburgo