sábado, 22 de junho de 2024

Pacientes do CAPS de Caetanópolis visitam Serra de Santa Helena em alusão ao 18 de maio

Dia da Luta Antimanicomial foi celebrado com intervenções culturais de artistas sete-lagoanos

Em comemoração ao Dia da Luta Antimanicomial, celebrado em 18 de maio, o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Caetanópolis realizou uma visita guiada à Serra de Santa Helena, em Sete Lagoas, com alguns de seus assistidos na tarde do último dia 16 de maio. Os participantes foram recepcionados pelos artistas sete-lagoanos Erick Pinguim, David Abreu e Tatto Paschoal. A ideia da visita partiu da médica do serviço, Andrea Roque.

Fotos:  Tatto Paschoal

Enquanto Erick Pinguim, ou melhor, o Palhaço Torrete interagia com os assistidos por meio de encenações circenses e teatrais, David Abreu entoava seus cantos e Tatto Paschoal coordenava o registro do encontro, por meio de fotos e vídeos. “É de muita satisfação fazer parte de ações que tratam da conscientização da luta antimanicomial. A arte é uma forma poderosa de expressão que pode dar voz às experiências e sentimentos das pessoas afetadas pela saúde mental. Isso promove a inclusão e o reconhecimento das suas histórias e lutas. Trazer visibilidade a isso é revigorador”, acredita Erick Pinguim.

“Precisamos refletir sobre os problemas e violências que foram cometidas no passado contra pessoas que têm transtornos mentais, presas em hospícios, maltratadas, como em Barbacena, Galba Veloso, entre outros. Hoje temos serviços substitutivos como os CAPS, que fazem um trabalho humanizado, tratamento em liberdade, com várias atividades, priorizando as atividades coletivas e o vínculo com os pacientes. Essa afetividade também cura. Isso também é saúde”, esclarece o coordenador do CAPS de Caetanópolis, Marcos Ribeiro. Ao final da visita, um lanche comunitário foi serviço aos participantes.

ASCOM Prefeitura de Sete Lagoas