sábado, 20 de abril de 2024

Obras do Hospital Regional serão retomadas a partir desta segunda em Sete Lagoas

O hospital está em um terreno de 23.500 metros quadrados, divididos em quatro blocos e vai oferecer 226 leitos, sendo 21 de UTI adulto e 15 leitos UTI neonatal, com possibilidade de expansões futuras

 A construção foi paralisada em 14 de maio de 2015. Foto: Agência Minas

O Secretário de Estado de Governo de Minas Gerais, Gustavo Valadares, foi entrevistado na manhã desta segunda-feira (20), pelo deputado estadual e radialista Douglas Melo, na Rádio Musirama 92.1 FM. O secretário fez um balanço das articulações para a retoma das obras do Hospital Regional de Sete Lagoas, que seriam anunciadas em solenidade no local na tarde desta segunda-feira (20/11).

Gustavo Valadares afirmou: – São muitas as obras que ficaram paralisadas por anos no Governo do Estado, o Governo vem retomando gradativamente muitas delas, porém, pelo seu empenho, pelo seu trabalho, pela sua vontade de fazer este sonho se tornar realidade, hoje, o Governo do Estado irá a Sete Lagoas para junto com você reiniciar as obras do regional. Deixo aqui o testemunho do que esta acontecendo é fruto do seu trabalho e da sua determinação, ressaltou o secretário.

O Secretário de Estado de Governo de Minas Gerais, Gustavo Valadares, e o deputado Douglas Melo

Vale lembrar que a articulação para que o Hospital Regional de Sete Lagoas fosse incluindo na ação compensatória da Vale foi feita diretamente com o Governo do Estado pelo Deputado Douglas Melo. Na época o Deputado levou a solicitação ao então Secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Otto Alexandre Levy Reis, que juntos realizaram várias reuniões para debater o tema. Após muita conversa, veio autorização do governador Romeu Zema, que garantiu as obras de término do Hospital Regional.

Nesta segunda-feira, as obras terão com as presenças dos Secretários de Estado Fábio Baccheretti e Pedro Bruno responsáveis pelas pastas de saúde e infraestrutura, além do Deputado Estadual Douglas Melo. As obras ficarão sob responsabilidade do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG).

PREFEITURA DE SETE LAGOAS

Fábio Baccheretti, secretário de Estado de Saúde, e o prefeito Duílio de Castro

A ordem de serviço foi publicada no Diário Oficial de Minas Gerais no dia 30 de março e desde então foram realizados vários estudos estruturais e arquitetônicos para readequação do projeto. Todo o trabalho contou com apoio da Prefeitura de Sete Lagoas que foi fundamental para a atualização e regulamentação de licenças e demais documentos. “Essa obra sempre teve prioridade total da nossa administração. No que dependeu do Município, trabalhamos com agilidade e atendemos a todas as exigências. Foram várias reuniões com representantes do governo e da construtora vencedora do processo licitatório. É gratificante chegar neste momento e constatar que tudo valeu a pena”, comentou Duílio de Castro.

Uma das principais reuniões neste processo, inclusive, ocorreu no gabinete do prefeito Duílio de Castro, no dia 11 julho. Na oportunidade, estiveram presentes representantes da Potenza Soluções, empresa responsável pela readequação do projeto arquitetônico, da Construtora Guia, vencedora do processo licitatório junto ao Estado, e, pelo Município, das secretarias de Meio Ambiente, Obras e Trânsito, além do diretor do SAAE. “Foram vários anos de promessas. Os últimos recursos investidos na construção do Hospital Regional vieram ainda no meu mandato de deputado estadual encerrado em janeiro de 2015. Desde então houve muita propaganda, mas não colocaram nem um tijolo na obra. Agora, tivemos a oportunidade de trabalhar incansavelmente, em parceria com o Governo de Minas, para iniciar a realização de um sonho de Sete Lagoas e região”, ressaltou Duílio de Castro.

A vistoria realizada desta segunda-feira formalizou o recomeço das obras. Duílio de Castro e os secretários de Estado percorreram todo as repartições da construção.

O HOSPITAL

O hospital está em um terreno de 23.500 metros quadrados, divididos em quatro blocos e vai oferecer 226 leitos, sendo 21 de UTI adulto e 15 leitos UTI neonatal, com possibilidade de expansões futuras. Com 55% da construção concluída, a obra foi paralisada em 2015. Após concluído, o hospital contribuirá na ampliação da oferta de serviços para atenção às necessidades de cirurgias eletivas e trará benefícios a toda região. Somente na microrregião Central, no sentido norte, serão 16 municípios atendidos, representando 480 mil habitantes. O Governo de Minas Gerais deve investir aproximadamente R$ 101 milhões na conclusão.

Anuncio #1
Anuncio #2
Anuncio #3