quarta-feira, 24 de abril de 2024

O que raios é uma SELIC? E um CDI? | por Franco L’Abbate

A chamada do Jornal de alcance nacional diz: “Comitê de Política monetária reduz a taxa básica de Juros para 11,75%a.a.” Tá, mas e daí? O que isso quer dizer na prática?

Imagem: Freepik

Com o objetivo de manter a inflação sobre controle, uma das ações que os agentes da política monetária podem tomar é aumentar a taxa de juros do mercado. O objetivo é aumentar o “custo do dinheiro”. Na prática, fica mais caro pegar empréstimos. Controlar a inflação nesse caso, significa diminuir o consumo de bens e serviços da economia em geral, assim os preços param de subir tão rápido.

O efeito colateral dessa medida é um resfriamento da economia como um todo. Por isso essa decisão de aumentar a taxa de juros é chamada de contracionista.

E o CDI? Onde entra nessa história?

O COPOM (Comitê de Política Monetária) tem gerência sobre a taxa SELIC (Sistema Especial de Liquidação de Custódia) que é a taxa básica de juros da nossa economia. A taxa SELIC é a taxa que as instituições financeiras pagam para pegar dinheiro emprestado com o Banco Central por 1 dia. O CDI (Certificado de Depósito Interbancário) portanto é um análogo da SELIC e representa a taxa que as instituições financeiras pagam para pegar dinheiro emprestado entre elas por 1 dia. Por isso o CDI é sempre um pouco abaixo da SELIC.

Por esses números serem a base para os contratos de empréstimos e de investimentos, uma mudança neles, afeta todos os agentes econômicos.

Para você investidor, um aumento na taxa SELIC significa que seus investimentos em renda fixa vão pagar mais nominalmente!

Ficou com alguma dúvida sobre o assunto ou sobre algum termo que foi abordado nesse texto? Você pode me procurar nas minhas redes sociais ou por email em franco.labbate@rivainvestimentos.com.br

Anuncio #1
Anuncio #2
Anuncio #3