quinta-feira, 13 de junho de 2024

Caio Valace prega convivência harmoniosa e a missão de diminuir abismo social existente em Sete Lagoas

Presidente da Câmara falou das conquistas de 2023 e o compromisso em promover a cidadania, de forma prática, no legislativo sete-lagoano

Em seu pronunciamento na primeira reunião ordinária da Câmara Municipal em 2024, realizada na terça-feira (6), o presidente do Legislativo sete-lagoano, vereador Caio Valace, reafirmou seu compromisso com a democracia, a necessidade de uma convivência civilizada e respeitosa no plenário e, principalmente, a missão de lutar pelos mais necessitados. –

“Sete Lagoas contraiu ao longo dos anos uma dívida social desafiadora. E é nossa responsabilidade, como classe política, empresarial e coletiva, promover o restabelecimento de uma cidade capaz de criar oportunidades e reinserir pessoas que se encontram desamparadas”, afirmou Caio.

Confira, na íntegra, o discurso do presidente:

Prezados colegas vereadores, autoridades presentes, servidores públicos e cidadãos de Sete Lagoas, 
É com grande satisfação que iniciamos o novo ano legislativo desta Casa, momento crucial em que renovamos nosso compromisso com a democracia, a convivência harmoniosa e o pleno funcionamento das instituições democráticas. 
Neste espaço democrático e plural, celebramos a diversidade de ideias e perspectivas que enriquecem nosso debate público. Reconhecemos que a democracia é o fundamento que nos une, permitindo-nos exercer nossos direitos e deveres como representantes do povo. 
A antiga máxima que por anos esteve presente no Legislativo sete-lagoano está cada vez mais atual: a palavra não foi feita para dividir ninguém; o destino da palavra é dialogar.  
Reafirmamos nosso compromisso com a convivência extremamente civilizada e respeitosa neste plenário. Sabemos que é possível discordar sem desrespeitar, debater sem ofender e construir consensos sem abrir mão de nossos princípios e convicções. 
A Câmara é formada por pessoas que ofereceram seus nomes para o exercício da política. E quando falamos dessas pessoas, falamos, evidentemente, sobre nós, vereadores. Agentes políticos que trazem, dentro de suas almas, as angústias e aspirações de nosso povo, além do incondicional desejo de diminuir o abismo social que, ao longo da história, promove a desigualdade.
Sete Lagoas contraiu ao longo dos anos uma dívida social desafiadora. E é nossa responsabilidade, como classe política, empresarial e coletiva, promover o restabelecimento de uma cidade capaz de criar oportunidades e reinserir pessoas que se encontram desamparadas.  
Apesar de estarmos entre as 10 maiores economias do Estado de Minas Gerais, no universo de 227 mil habitantes, 70 mil pessoas dependem de programas sociais para sobreviverem, e outras 13.500 contam com uma renda abaixo da linha da pobreza, totalizando. É nosso papel voltar, cada vez mais, os olhos para essas pessoas. 
Aqui, na Câmara Municipal de Sete Lagoas, reafirmamos o respeito à separação de poderes, princípio fundamental de nossa democracia. Compreendemos que os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário são independentes e harmônicos entre si, cada um cumprindo seu papel constitucional em prol do bem-estar da sociedade. 
Entendemos que a independência e a harmonia entre os poderes não implicam necessariamente concordância em todas as questões, nem garantem que todas as demandas serão prontamente atendidas. No entanto, comprometemo-nos a buscar o diálogo construtivo e a cooperação em prol do interesse público, mesmo diante das divergências.
Tivemos muitos avanços à frente desta presidência, juntamente com a Mesa Diretora. Projetos importantes foram votados, sempre visando o bem de nosso povo, daqueles que realmente precisam da cidade e de seus serviços. E é nossa missão, cada vez mais, criar mecanismos que encurtem as distâncias sociais e promovam a efetivação da cidadania. 
A implantação do Direcionamento Estratégico da Câmara Municipal de Sete Lagoas para o período de 2023 a 2033 fará com que todas as ações do Poder Público sejam pensadas considerando seu impacto em um prazo mínimo de dez anos.  
Trata-se de um avanço no combate a projetos alucinados ou sem um estudo de impacto a médio prazo. Já passou da hora de imprimir na política local práticas administrativas que nos permitirão colocar no centro da discussão o que realmente importa: o futuro da cidade em que vivemos e a cidade que queremos deixar para nossos filhos. 
Criamos o Centro de Atendimento ao Cidadão (CAC), um ambiente onde são disponibilizados serviços, atividades e ações concretas que atendem a esse desejo latente de promover o reencontro com a nossa gente. E para este ano, vem aí o nosso restaurante popular – com refeições de qualidade para os servidores do Legislativo e o cidadão comum, a preço justo. 
Que este ano legislativo seja marcado pelo fortalecimento de nossa democracia, pelo diálogo constante e pela busca incansável por soluções que atendam às necessidades de nossa cidade e de nossos cidadãos. Que possamos, juntos, construir um futuro mais justo, igualitário e próspero para Sete Lagoas. 
Agradeço a todos pela presença e pelo empenho em prol do bem comum. Que Deus nos ilumine e nos guie em nossos trabalhos. 
Viva a democracia! Viva Sete Lagoas!

Fonte: Câmara de Sete Lagoas