sábado, 18 de maio de 2024

América faz dever de casa, entra no G4 e um nome começa sobressair: Adyson! | por Chico Maia

Juninho, com o filho, envolto na bandeira do Rio Grande do Sul. Foto: @AmericaFC1912

Vitória suadíssima sobre o Vila de Goiás, que também é um dos candidatos ao acesso. Assim, como o Cacá Tomazzi, amigo americano de longa data, de Conceição do Mato Dentro, peço às senhoras e aos senhores as devidas desculpas pela demora nas considerações sobre os 3 a 1 de ontem, no Horto.

E compartilho o texto poético e bem informado do Cacá, que acompanha as notícias até das categorias de base do América:

* “Calma né gente,

o meu zap já tá transbordando de tantas mensagens exigindo os meus comentários sobre a retumbante vitória do América ontem.

E não precisa gritar, se não comentei ainda é porque estou ocupado.

Mas vamos lá: uma vitória que mais parece colar de madame do high society, cheia de pérolas. Já começou na saída de bola, passe preciso e precioso de Juninho pra Renato Marques que define com a simplicidade dos craques feitos em casa… e a bola passa rolando suavemente pelo goleiro até beijar o pé da trave.

Na sequência o gol dos adversários numa cobrança de corner na primeira trave. Cabe várias interpretações: uns dizem que foi pra dar emoção ao jogo, mas eu fico com a confissão de Renato Marques. Segundo o próprio, a responsabilidade de marcar na primeira trave era dele, e ele não o fez. Coisas da modernidade, centroavante com função mais defensiva eu nunca vi.

E na sequência Renato Marques mostrou que falha na marcação, mas não falha no ataque. Passe açucarado de Marlon pra entrada da pequena área, Renato Marques dobra a aposta e define com açúcar e com afeto pras redes.

O centroavante do Coelho ainda jogou outra bola na trave em passe preciso de Vitor Jacaré após receber lançamento magistral de Benítez. Prova de que no time do Coelho até Jacaré joga bola.

O gol da virada é marca registrada do América. Lançamento da defesa pro ataque, Juninho amacia no peito diante da defesa adversária, sai na frente dos beques e deixa o goleiro na saudade.

E no segundo tempo, passe de Fabinho pro Adyson (guardem bem esse nome) que desnorteia o lateral e devolve pra Fabinho definir o placar final do jogo. COÊLHOOOO!!!

* Por Cacá Tomazzi

Anuncio #1
Anuncio #2
Anuncio #3