segunda-feira, 15 de julho de 2024

Ser mulher em Sete Lagoas é…

Mulheres sete-lagoanas mostram sua perspectiva levando em consideração suas trajetórias de vida e contextos profissionais

“Ser mulher em Sete Lagoas é enfrentar desafios e conquistar vitórias em um cenário marcado pela tradição e pela modernidade. Apesar das múltiplas responsabilidades familiares e profissionais, ser mulher aqui ou em qualquer outra localidade é sempre buscar destacar-se pela resiliência e pela determinação, buscando construir uma sociedade mais justa e igualitária. Assumo vários papéis fundamentais nesta cidade, na esfera familiar, no mercado de trabalho, na vida social, e também em grupos de serviços, contribuindo para o desenvolvimento da comunidade e sempre busco deixar o meu legado com o objetivo de inspirar gerações futuras a alcançar novos patamares de empoderamento e sucesso. Eu sou muito feliz em Sete Lagoas.” Eliana Rocha Pimenta Carvalho – Advogada

“É um grande desafio, visto que nós vivemos em uma cidade que é muito conservadora, que as políticas públicas ainda são feitas majoritariamente por homens, pensadas em homens, num contexto que ainda é muito machista. Então, eu vejo que, em termos de políticas públicas, nós avançamos de forma muito lenta com os conselhos, os grupos organizados de mulheres que buscam fazer esse enfrentamento. Tem muita dificuldade, muita resistência por aqueles que administram a cidade. A cidade ainda tem muito o que avançar nas pautas que representam a mulher, a mulher sete-lagoana, mineira, brasileira.” Manu Garcia – Educadora Física, Professora de Pilates, Professora de Yoga e Terapeuta Integrativa

“Sete Lagoas não era exatamente a cidade dos meus sonhos para a minha carreira, mas me surpreende. Aqui tenho clientes, parceiros, uma rede de contatos maravilhosa, minha família (meu tesouro), minha casa e meu futuro. Aprendi a valorizar sua beleza e reconhecer sua potência – pela qual busco fazer a minha parte, para vê-la concretizada! Como mulher, mãe e profissional, me sinto acolhida pela cidade. Aqui, mesmo com suas imperfeições, impossíveis de serem ignoradas, vivo bem e sou grata por tudo o que a cidade já me proporcionou e me oferece, atualmente, em especial às pessoas que, para mim, são o maior patrimônio de Sete Lagoas.” Mariana Simões – Consultora de Imagem

“Ser mulher na cidade de Sete Lagoas, é uma jornada que se entrelaça com resiliência, determinação e superação, é ter a capacidade de enfrentar e superar adversidades, desafios e situações difíceis, adaptando-se positivamente a elas. Significa desafiar expectativas e quebrar barreiras. Significa ser a protagonista de sua própria história, moldando seu destino com coragem e determinação. É enfrentar e superar obstáculos. É ser resiliente e determinada a vencer, é trabalhar a cada dia a vontade de transformação que reside dentro de cada um de nós.” Edlamar Soares – proprietária Agência Communique de Marketing e Traço e Cia Comunicação Visual

“Ser mulher no contexto atual não é tarefa fácil, em Sete Lagoas não é muito diferente, inclusive pela cultura tradicionalista patriarcal que circunda todas as relações. Mas percebo que o Movimento de mulheres na nossa cidade, agora fortalecido pela Secretaria da Mulher estamos nos fortalecendo, pois as ações realizadas, há anos, pelos coletivos e grupos organizados nos possibilitam olhar umas para as outras e entender que podemos ser uma, mas que nunca estaremos sós! Entendemos, nos fortalecemos e vamos ensinar pelos quatro cantos que o lugar de mulher é onde ela quiser!” Nana Andrade – Diretora de Cultura e Juventude/Casarão, Educadora e Publicitária

“Gostaria de contar uma nova história, daquelas antigas guerreiras que marcaram esta data. Mas, infelizmente, como em grande parte do mundo, Sete Lagoas não é diferente. Para sermos ouvidas ainda precisamos falar alto, nos posicionar firmemente. As sociedades, de todos os tempos, não sobreviveriam sem a capacidade de renúncia e de adaptação da mulher. E nessa missão de termos que ser multifuncionais, seguimos com maestria, em busca de espaço; e aos poucos vamos mostrando quão competentes somos. Então, o que digo a todas: multipliquem seus talentos e conhecimentos, mas não deixem que alguém os patentie; porque somos inteligentes, fortes, lindas, sensíveis… e somos incríveis de diferentes formas.” Patrícia Campos Nascimento – Diretora Administrativa e Financeira HNSG

“Ser mulher em Sete Lagoas é, para mim, uma experiência marcada pela determinação, pelo comprometimento na busca incessante por igualdade e oportunidades para todas. Como profissional, enfrentei obstáculos comuns às mulheres, buscando sempre superar estereótipos de gênero e batalhando para que minha voz seja ouvida. Acredito que, ao contribuir ativamente na política, estou ajudando a moldar um futuro mais inclusivo e justo para as gerações futuras.” Lígia Valadares – Arquiteta e Urbanista, Gerente de Programas e Projetos Culturais da Secretaria Municipal de Cultura, Esportes e Turismo, Secretária de Organização do Partido dos Trabalhadores de Sete Lagoas

“Ser mulher em Sete Lagoas é bastante desafiador, porém ao mesmo tempo, existe calor humano para romper essas barreiras no contexto do empreendedorismo feminino, pois vejo evolução das mulheres em se ajudarem. No meu trabalho foco em desenvolver  a consciência da mulher sobre a sua própria beleza, em resgatar a sua essência e posicioná-la com estratégia de imagem e estilo para revelar a sua identidade de valor.” Carina Costa – Administradora, pós-graduada em Gestão de Projeto, Consultora de Imagem Pessoal

“É desafiador. Vivemos em uma estrutura social pilarizada sob o patriarcado. Isso significa que as decisões e os espaços de poder são ocupados majoritariamente por homens,  o que dificulta o avanço das mulheres e comigo não é diferente. Estou e preciso estar em constante aprendizado para encontrar os caminhos a serem trilhados, principalmente na minha vida profissional. Venho de uma família de mulheres fortes, determinadas e aguerridas. Ser mulher pensante e que trabalha no poder público é meu grande desafio. Ser filha e irmã é o meu refúgio. Amar e ser amada é o meu deleite.” Priscila Horta – Diretora do Centro de Atendimento ao Cidadão da Câmara Municipal de Sete Lagoas

“Ser MULHER …e SER PSICANALISTA… em SETE LAGOAS ..,é entender que a prosperidade deriva da GRATIDÃO. Sete Lagoas me recebeu de braços abertos e me ensinou que a GRATIDÃO molda nosso coração! E aqui aprendi que o que eu emano para o mundo volta para mim na mesma proporção! Só tenho que agradecer por PERTENCER a um lugar que me possibilitou uma nova forma de ver o mundo. Aqui publiquei meu primeiro livro que será lançado em breve. Sete Lagoas me possibilitou alcançar minhas metas e realizar sonhos! SER MULHER EM SETE LAGOAS É SER ‘PURA GRATIDÃO’!” Olinda Medina – Psicanalista, escritora e mentora

“Ser mulher demanda muitas habilidades de gerenciamento do tempo, organização e empatia. Em Sete Lagoas atuo em um cargo de liderança que me permite propor e construir junto com os stakeholders, capítulos importantes no desenvolvimento dos municípios e dos negócios. Nós mulheres inspiramos outras mulheres através das nossas realizações, coragem e impacto positivo junto à sociedade.” Samira Melo – Analista Sebrae Sete Lagoas

“É uma trajetória incrível poder alcançar voos tão sonhados. As portas foram abertas de maneira sublime. Fui acolhida com olhar de Mãe, sou respeitada e tenho total admiração por todos que fazem parte dessa caminhada. Vivo no constante aprendizado, prezando pela natureza e por todos os seres. Obrigada Sete Lagoas e a todas as mulheres que juntas fazem essa caminhada do resgate de Histórias, Memórias, Patrimônio Cultural, Ancestralidade, enfim de fortalecimento de nossas origens e raízes. Aqui meu sangue pulsa mais forte e acredito mais no meu potencial. Gratidão define ser mulher em Sete Lagoas pra mim!” Cláudia Silveira – Artesã, Consultora e Instrutora de Arte e Sustentabilidade

“Ser mulher em Sete Lagoas, significa uma jornada marcada por desafios superados e conquistas alcançadas. Desde o nascimento até empreender na área da educação por três décadas, tenho enfrentado obstáculos com determinação e superação. Ser mulher em Sete Lagoas envolve construir uma trajetória repleta de resiliência e empoderamento, contribuindo ativamente para o desenvolvimento da comunidade e inspirando outras mulheres a seguirem seus sonhos e objetivos. Através do meu trabalho , da família que formei aqui , dos amigos que aqui tenho, procuro sempre deixar um pouco de mim nessa cidade que amo e continuarei dedicando e fazendo o meu melhor para o progresso dessa terra de que tanto me orgulho.” Iracema Soares – Fundadora e Diretora do Grupo Skipper’s

“Ser mulher em Sete Lagoas, assim como em outras partes do mundo, é mergulhar num mar de desafios, mas emergir com a força e a determinação de quem sabe que pode ser agente de transformação. É carregar no peito a vontade ardente de fazer diferente, de traçar caminhos inéditos e de inspirar toda uma comunidade com ações que falam mais alto que palavras.” Vanessa Miranda – Gerente Executiva da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Sete Lagoas

“Ser mulher é desafiar expectativas e superar barreiras. Como repórter, enxergo a cidade com olhos de quem busca histórias autênticas e vozes diversas. É mergulhar na vida da comunidade, trazendo à luz suas nuances e complexidades. Se é fácil? Nem sempre. Ainda há preconceito e olhares de desaprovação. Mas que nada nos impeça de escrever cada capítulo com determinação e paixão. Coisas de mulher.” Linda Martins – Radialista Programa Frente à Frente

“Encaro o ser mulher em duas perspectivas, como uma dádiva, mas também como um desafio. Enquanto dádiva vejo em mim características satisfatórias que só a feminilidade me possibilita ter, porém, exercer e praticar essas características de forma leve e livre em alguns contextos se torna um grande desafio. Em minha vivência tanto como cidadã “nascida e criada” em Sete Lagoas, quanto na prática profissional, percebo que a cidade é riquíssima em talentos femininos, o que pra mim é uma honra estar entre essas mulheres, mesmo que em alguns momentos seja desafiador, a satisfação supera os desafios.” Bruna Pinheiro – Psicóloga e parte da Liderança da CDL Mulher de Sete Lagoas

“Ser mulher em Sete Lagoas é enfrentar diariamente uma onda conservadora que nos invalida e que tenta, de forma arcaica e violenta, colocar sobre nós seus dogmas e preceitos obsoletos e antiquados. Ser mulher em Sete Lagoas é enfrentar o machismo e lutar pela nossa igualdade”. Clara Rocha – Fotógrafa

“Sete Lagoas tem um rico histórico de mulheres visionárias e empreendedoras. Sou muito realizada e feliz sentindo pertencimento nesse ambiente de mulher protagonista de sua própria história!” Heloísa Frois – Superintendente da ACI e Vereadora