quarta-feira, 24 de abril de 2024

Secretário afirma que morte de três crianças não está relacionada com bactéria Streptococcus

“Os pais têm que preocupar agora é em vacinar seus filhos e levar ao atendimento, caso apresente febre alta, dores na garganta. Mas isso é algo natural, não há nada de diferente acontecendo”, afirmou o secretário de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti

O secretário de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, tranquiliza a população de São João del-Rei e de outras cidades do Campo das Vertentes e garante que não há surto causado pela bactéria Streptococcus na região. Em entrevista ao vivo ao Jornal da Itatiaia nesta quinta-feira (26), Baccheretti ressaltou que não há correlação entre as mortes de três crianças em São João del-Rei e a Streptococcus.

Uma bactéria vem assustando os pais de crianças de São João del-Rei, na Região do Campo das Vertentes, em Minas Gerais. A doença já matou três crianças, de 3, 9 e 10 anos, entre setembro e a última segunda-feira (23/10).
Uma bactéria vem assustando os pais de crianças de São João del-Rei, na Região do Campo das Vertentes, em Minas Gerais. A doença já matou três crianças, de 3, 9 e 10 anos, entre setembro e a última segunda-feira (23/10).

“Toda bactéria, tratada ou não, geralmente quando tratada a cura é quase 100%, pode evoluir para choque séptico e o choque séptico pode evoluir para óbito. Isso não é algo novo. Isso acontece o tempo todo no mundo inteiro. O grande problema é que associaram casos que não têm associação. Por exemplo, os dois primeiros óbitos não têm isolamento de nenhuma bactéria. A única paciente que teve isolamento por Streptococcus teve alta. Não faleceu. Temos casos que podem ser pneumonia, podem ser meningite. E a gente pode lembrar que há vacinas para boa parte dessas bactérias”, destacou o secretário, que cita ainda a disseminação de fake news sobre o caso:

Preview do Youtube
Iniciar Vídeo

“Os pais têm que preocupar agora é em vacinar seus filhos e levar ao atendimento, caso apresente febre alta, dores na garganta. Mas isso é algo natural, não há nada de diferente acontecendo. Isso é muito, porque associaram os casos como se fosse a mesma bactéria, mas isso não é verdade. O último caso de óbito, ainda estamos fazendo as análises pela Funed, mas não cresceu nenhuma bactéria específica ainda para se dá correlação de um caso com outro. O que está tendo mesmo são fake news que rodam dentro de uma população que precisa ser orientada”, ressaltou.

Três crianças morreram e outras quatro foram internadas após apresentarem sintomas como febre, vômitos e dor de garganta. Em razão desses casos, aulas foram suspensas em quatro cidades da região.

Com Rádio Itatiaia

Anuncio #1
Anuncio #2
Anuncio #3