quarta-feira, 24 de abril de 2024

Número de foragidos recapturados após ‘saidinha’ de fim de ano em Minas sobe para 81

Nas últimas 24h, PM localizou mais quatro indivíduos, mas ainda restam 37 foragidos

Foto: Divulgação/PMMG

A Polícia Militar de Minas Gerais atualizou o número de foragidos recapturados pela “Operação Escudo” no estado. Nas últimas 24h, a corporação localizou mais quatro dos 118 detentos que não retornaram às penitenciárias após a “saidinha” de Natal e Ano Novo. Com a atualização, sobe para 81 o número de apreendidos. Restam 37 indivíduos.

De acordo com o TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais), 4.158 presos receberam o direito de saída temporária no final do ano passado. Na oportunidade, foi estipulado um prazo de retorno às unidades prisionais, não respeitada pelos 118 indivíduos inicialmente procurados. Eles representam aproximadamente 2,8% do total dos presos que receberam o benefício.

O tema das “saidinhas” voltou ao centro das discussões após a morte do policial militar Roger Dias, baleado durante uma abordagem no bairro Aarão Reis. O suspeito do crime desfrutava do benefício quando cometeu o ato. O velório e enterro do sargento ocorreu na tarde de ontem (9), no cemitério Bosque da Esperança, em BH.

Legislação

De acordo com a legislação brasileira, o direito de “saidinha” é concedido apenas aos presos que cumprem pena em regime semiaberto, em casos específicos. Os detentos devem cumprir alguns requisitos, como bom comportamento na prisão e não ter sido condenado por crime hediondo. O benefício pode ser concedido até cinco vezes no ano e geralmente ocorre em datas comemorativas específicas, como Natal, Páscoa e Dia das Mães, para confraternização. Para o Poder Judiciário, o recurso é visto como forma de ressocialização dos detentos.

Suspeitos do crime contra PM

No último domingo (7), Welbert de Souza Fagundes e Geovanni Faria de Carvalho, suspeitos do crime contra o sargento Roger Dias, tiveram a prisão em flagrante convertida para preventiva, após a realização de audiência de custódia no Fórum Lafayette, em Belo Horizonte. De acordo com a PM, Welbert de Souza, que realizou o disparo, possui 18 passagens pela polícia. Tráfico de drogas, roubo, falsidade ideológica e agressão foram alguns dos crimes praticados pelo autor.

Fonte: BHAZ

Anuncio #1
Anuncio #2
Anuncio #3