quarta-feira, 24 de abril de 2024

David Abreu vence primeiro Festival de Música da Faculdade Ciências da Vida

“A peleja de David Abreu contra o nome americanizado” levou o prêmio principal

O “cantador” David Abreu. Fotos: Hermano Marco Films

 No sábado passado (16) foi realizado o primeiro festival de música da Faculdade Ciências da Vida, servindo de grande estímulo e vitrine para os compositores e cantores de nossa terra, que formaram um selecionadíssimo time de artistas.

  O júri composto por profissionais das diversas áreas – da Literatura, do Canto, Palco e a da Batuta – puderam contemplar um rico espetáculo de diversificados gêneros musicais, onde obtiveram grande destaque em suas apresentações a cantora, compositora e violonista Thaianne Guimarães e os compositores e cantores mineiros Rojan Gabriel e Felipe Betetti, figuras presentes e premiadas pelos festivais Brasil a fora.

 Por fim, o compositor, poeta e cantador (como sugere o próprio) David Abreu, que conquistou a primeira colocação sob a bancada julgadora com a sua música “A PELEJA DE DAVID CONTRA O NOME AMERICANIZADO “, com uma espécie de enredo auto biográfico em tom de protesto e bom humor.

Abreu que tem longa estrada, só agora resolveu participar de um festival, que em sua estreia classificou duas de suas músicas, sendo a citada anteriormente e a “GALOPE IMAGINÁRIO “, disponibilizada nas plataformas digitais.

  Ao início da apresentação, o cantador entoou um de seus poemas em “MARTELO AGALOPADO” (uma das modalidades da poesia de cordel) seguido pelo seu baião Galope Imaginário. Em seguida, antecipou à música vencedora um prefácio que continha a inspiração para a música e seu feitio, que das poesias populares tem o nome de MOTE EM DEZ.

 David Abreu apercebeu-se da grandeza do seu número pela reação do público presente e sutis olhares dos jurados, enquanto entoava sua “Peleja”, música que expõe, em rasa análise, a indignação da pronúncia do seu nome em sotaque inglês ou, aprofundando-se na obra, um grande protesto à “síndrome vira-lata” pela qual é acometido o sujeito que desvaloriza a própria raiz para dar valor a estrangeiras culturas.

 O cantador ficou honrado ao receber seu prêmio das mãos da escritora e poetiza Maria Auxiliadora Matos de Melo, que integrou a junta de jurados composta também pelos cantores e músicos, El’s da Terra, George Machado, Toninho (Duo Bi Du) e o maestro Gilson de Matos.

  O Cantador foi acompanhado pelo apoio de ritmo composto por João Augusto, Ramon Silva (estes dois, ex integrantes da banda de forró 3×4 Marilu, onde já acompanham Abreu desde 2016 com seu triângulo e zabumba, respectivamente) e também a participação especial do ator, cantor, compositor e multe artista Rafa Martins tocando pandeiro e fazendo coro. Não deu outra, foram os vencedores preenchendo com louvor todos os quesitos exigidos pelos analisadores.

O artista manifesta grande felicidade em receber, logo em sua estreia nos festivais, o troféu de primeiro lugar, de estar participando com grandes colegas, amigos e parceiros e ter um espaço para que o compositor local seja valorizado e ainda diz ter uma surpresa referente a música vencedora, para os apreciadores do seu trabalho.

Anuncio #1
Anuncio #2
Anuncio #3