segunda-feira, 22 de julho de 2024

Corinthians chegou otimista para pegar o Cruzeiro, mas o jejum continua e a zona da degola também

Bareal comemora o segundo gol cruzeirense – Foto: x.com/Cruzeiro

Por Chico Maia

Antes da partida o site da torcida do time paulista, “Meu Timão”, tinha expectativa positiva e a manchete era: “Corinthians busca quebrar jejum de quase dez anos sem vencer o Cruzeiro no Mineirão…”
E lembrava que a última vitória dele foi em outubro de 2014, 1 x 0, gol de Luciano, pelo Brasileiro, ano em que o Cruzeiro conseguiu a façanha do bicampeonato consecutivo, dirigido pelo Marcelo Oliveira.


Mas, o jejum continua porque a Raposa fez um grande jogo e em momento algum correu risco de não terminar com mais três pontos. Chegou aos 23 pontos, indo para o sétimo lugar. O Corinthians é o 17o colocado, com 12 pontos.

Matheus Pereira, aos 5, e Barreal, aos 49 do primeiro tempo e Gabriel Verón, aos 3 minutos do segundo. Público 55.186, renda R$ 3.137.608,00


O atrapalha o Cruzeiro neste momento é a conversa chata de que o técnico Fernando Seabra estaria com o cargo ameaçado. Um absurdo. Nada justifica essa onda, já que o time, além da boa campanha, tem jogado bem, mesmo com um elenco bem limitado à disposição do treinador.

E com os jogadores que estão chegando a tendência é o time ficar melhor ainda.
Possivelmente algum procurador/empresário de algum desses técnicos veteranos desempregados deve estar plantando boatos neste sentido, para emplacar algum parceiro na Toca.


Ano passado o Cruzeiro fez a bobagem de demitir o português Pepa, no meio do campeonato, com o time fazendo boa campanha. Quase foi rebaixado.
Não é possível que pensa repetir esta mancada. Ainda bem que a diretoria é outra, com dirigentes mais experientes.

Imagem: x.com/Mineirao