quinta-feira, 18 de abril de 2024

Congresso derruba veto da desoneração da folha pagamentos. Força da  pressão de vários setores e entidades do Brasil, uma delas a entidade Setelagoana Ascon7.

A Associação dos Construtores de Sete Lagoas (Ascon7) participou do 97º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC), na capital federal, representada pelo presidente Marcio Teixeira e pelo vice-presidente Rogério Chaves. Os principais temas foram a reforma tributária e o veto a desoneração da folha de pagamento.

Foto: Divulgação/Ascon7

Realizado dia 12 de dezembro, o evento contou com a presença de vários senadores da República, do ministro Jader Barbalho Filho e do vice-presidente da República Geraldo Alckmin.

O Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC) é uma iniciativa da CBIC que reúne, há 97 edições, os principais players da cadeia construtiva. O conteúdo tratado no ENIC pauta os próximos passos do setor em uma experiência que inclui debate com o poder público, palestras e muito networking. 

Esta edição debateu a agenda do setor com autoridades e representantes dos Três Poderes para abordar temas como reformas estruturantes, produtividade, competitividade e infraestrutura. O centro das discussões do foi em torno da reforma tributária e do veto da desoneração da folha de pagamento.

A classe empresarial da construção civil pressionou o vice presidente Geraldo Alckmin e o senador Jader Barbalho Filho, em relação ao veto da desoneração folha pagamentos.

O presidente da Ascon7, Márcio Teixeira (direita), e o vice, Rogério Chaves, no 97°ENIC, em Brasília. Foto: Divulgação/Ascon7

Para Márcio Teixeira presidente da Ascon7, o 97°ENIC veio fortalecer o trabalho de todas as entidades que lutaram muito pela derrubada do veto da folha desoneração da folha de pagamento. “Chega de pensar em oneração do setor privado para ajuste das contas públicas!” desabafa. “Temos que pensar em desoneração para gerar empregos. Parlamentares entenderam a importância de derrubar o veto da folha de pagamento e entidades nacionais trabalharam muito nas bancadas parlamentares do congresso”, completa.

Fonte: Ascon7

Anuncio #1
Anuncio #2
Anuncio #3