segunda-feira, 22 de julho de 2024

Sete Lagoas chega a 12 mortes por Chikungunya e três por dengue, só agora contabilizados

Segundo assessoria, os casos são antigos, mas só agora foram confirmados e atualizados pelo Governo do Estado

Prefeitura intensifica aplicação de fumacê e bloqueio do mosquito em córregos. Foto: Divulgação PMSL

A Secretaria de Estado de Saúde do Governo de Minas confirmou, na manhã desta terça-feira, 16 de abril, mais dois óbitos por Chikungunya em Sete Lagoas que, até então, eram tratados como suspeitos. Ambos ocorreram no Hospital Municipal Monsenhor D’amato, sendo um deles o de um homem de 87 anos, no dia 27 de fevereiro, e o outro de uma mulher de 77 anos, no dia 6 de março.

Assim, a cidade chega a 15 óbitos confirmados, sendo 12 por Chikungunya (sete homens entre 45 e 97 anos e cinco mulheres entre 58 e 94 anos), e três por dengue (uma menina de oito anos, uma mulher de 37 e um jovem de 17 anos).

“São óbitos antigos, mas só agora o Estado confirmou os resultados das investigações. Atualmente estamos em queda nas notificações e há um mês sem novos óbitos confirmados”, explica a superintendente geral de Promoção e Vigilância em Saúde do Município, Maitê Rodrigues.

Até o último dia 6 de abril já foram contabilizados no município oficialmente 9.725 notificações de suspeita de Chikungunya, sendo 1.977 resultados positivos; 8.168 notificações de casos suspeitos de Dengue, com 299 casos positivos; e 40 notificações de Zika, com nenhum caso positivo até o momento.

No entanto, uma boa notícia que comprova que as diversas ações da Prefeitura e a maior conscientização da população vêm surtindo efeito, é a redução constante nos casos suspeitos e positivos ao longo das últimas semanas. Pela primeira vez desde janeiro o município está abaixo de 500 casos semanais de Chikungunya e pela segunda vez abaixo de 500 casos de dengue.

Entre as ações do Executivo Municipal no combate às arvoviroses, realizadas desde novembro do ano passado, estão a contratação e capacitação de mais agentes comunitários de saúde (ACS) e agentes de combate a endemias (ACE), ampliação do horário de atendimento de várias unidades de saúde, abertura de unidades de saúde aos sábados, realização de mutirões de limpeza em diversos bairros, adoção de protocolos de atendimento específicos na UPA 24 Horas e no PA Belo Vale, aplicação de fumacê e bloqueios e a inauguração da nova sala de hidratação para pacientes com sintomas leves.

Paralelamente, houve a intensificação da fiscalização em lotes vagos e ampliação da limpeza e capina de espaços públicos, por meio da Codesel. “É muito importante que a população continue colaborando, evitando jogar lixo em terrenos e conferindo diariamente seu quintal”, reforça Maitê.