quarta-feira, 24 de abril de 2024

Secretário Edmundo Diniz pede para população não desesperar com tremores

Ele garante que todos os tremores percebidos pela população são de origem natural

Foto: Divulgação

O secretário Municipal de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agropecuária (Semadetur), Edmundo Diniz, tem frisado que não é momento de entrar em pânico devido aos tremores que ocorreram no último domingo (14) e terça-feira (16). O secretário coordena o grupo de trabalho sobre os tremores e em entrevista publicada no Jornal Sete Dias desta sexta-feira (19) ele explica os dados divulgados durante a semana sobre o relatório do estudo realizado pela Universidade Federal de Brasília (UnB) e orienta a população.

Edmundo explica que o sismógrafo é um aparelho muito sensível e potente que capta todas as vibrações da cidade: “Os tremores artificiais por detonações eles captam num raio de até 200 km, os tremores de terra, em razão da energia que é dissipada, pega o Brasil inteiro, quase que a América do Sul”. Os tremores ocorridos em Sete Lagoas foram captados por várias estações sismológicas, conforme os dados da UnB.

Ele afirma que há uma distinção muito grande entre a vibração gerada por ação humana e a gerada por razões naturais: “O sismógrafo capta as detonações, só que elas produzem no gráfico picozinho muito agudo e muito próximo, enquanto que os movimentos naturais formam uma onda em razão da energia que é desprendida”. 

“Então quando a população sente alguma coisa, em todos os casos, sem nenhuma exceção, foram eventos naturais, são tremores decorrentes da mesma falha que está em processo de acomodação. As detonações de explosivos não geram percepção para a população, é isso que tem que ficar claro”, afirma o secretário. Edmundo ainda pediu ajuda da população: “Se identificar alguma detonação ilegal, extração ilegal de minério, desmatamento, entre outros, denuncie na Guarda Municipal, na Polícia Ambiental ou na Semadetur”.

“A população não tem que entrar em pânico em razão disso. Estudemos a cartilha para saber como proceder em casos de tremores. Em casos de trincas, rachaduras, comunicar a Defesa Civil. É isso que nós temos que ter cuidado. Vai continuar tremendo? Possivelmente vai. Tem como evitar? Não tem como evitar. Então é conviver com eles, infelizmente”, salienta o secretário. A Defesa Civil Municipal pode ser acionada pelo 153 e a cartilha citada pode ser acessada pelo site da Prefeitura pesquisando pelo assunto no campo de busca.

Por Ana Amélia Maciel

Anuncio #1
Anuncio #2
Anuncio #3