segunda-feira, 15 de julho de 2024

Retrato em Branco & Preto: Geraldo Negocinho, o homem que devolveu o Democrata ao futebol profissional

Geraldo em três tempos: quando presidente do Democrata, em 1981;
…numa de suas últimas fotos, em 2013, 
…e com os irmãos Pedro e Álvaro (esquerda) e o amigo Telê Santana e então sócio em empreendimentos imobiliários.  

por Chico Maia

Sete Lagoas deve uma homenagem a ele. No dia 11 de dezembro vão se completar 10 anos da morte de Geraldo Antônio da Costa, que ficou famoso como Geraldo “Negocinho”. Foi um dos maiores empreendedores imobiliários de Belo Horizonte, com a sua famosa Lotaço Imóveis, nos anos 1970/80/90.

Nascido em Santana de Pirapama, apaixonado por futebol, animou-se com a sugestão do irmão Álvaro Antônio da Costa, da JA Imóveis/Sete Lagoas, de ajudar o Democrata a retornar ao profissionalismo, que tinha acabado para o clube em 1969.

Ele gostou da ideia e entrou de cabeça no projeto. Foi eleito presidente do Jacaré, em fins de 1980. Imediatamente montou um ótimo time que foi Campeão Mineiro da Segunda Divisão em 1981, retornando com o Democrata para a elite do futebol mineiro.

Visionário, construiu o Recanto do Jacaré, clube campestre que seria uma das maiores fontes de sustentação do clube. Trouxe para frequentar a treinos e jogos do time, amigos dele da imprensa da capital, do mundo empresarial e esportivo, como Telê Santana, então técnico da seleção brasileira. Fez parceria com a Equipe, empresa belorizontina de material esportivo (bolas, camisas e chuteiras) que estampou a sua marca nas costas da camisa do time, sendo o primeiro patrocínio a um clube no futebol brasileiro. 

Porém, com a perspectiva de sucesso do seu projeto, passou a enfrentar ciúmes e inveja de tradicionais democratenses locais, que além de boicotá-lo passaram a inventar histórias de que ele queria se aproveitar comercialmente do clube ou usá-lo politicamente. Cansado de gastar dinheiro e chateado com tanta fofoca, terminou seu mandato e voltou a cuidar exclusivamente da sua empresa em Belo Horizonte, abandonando o futebol.