segunda-feira, 22 de julho de 2024

Previsões, chutes e palpites que fazem muita gente boa pagar micos | por Chico Maia

Prováveis finalistas e chutes arriscados que costumam derrubar reputações

O jornalista Bruno Marum foi alvo de protestos de americanos por opinar, na Band News FM, que o América “já deitou” e que o Atlético estará na final do Mineiro. Penso que, em “condições normais de temperatura e pressão”, ele tem razão. Como diria Nelson Rodrigues, só se o “Sobrenatural de Almeida” entrar em campo para o Coelho reverter a situação, o que ocorre de vez em quando no futebol.


Quanto a Cruzeiro x Tombense, o Marum tem dúvidas, e para mim a Raposa vai à final. Aguardemos!
Todavia, ninguém tem bola de cristal e determinadas previsões e avaliações costumam gerar grandes polêmicas e micos. Caso do Hulk, por exemplo, detonado por vários comentaristas quando foi anunciado pelo Atlético e nos primeiros meses dele na Cidade do Galo.


Os integrantes do programa Barba, Cabelo e Bigode, da Rádio O Tempo, pegaram um comentário do Lélio Gustavo de 2018, ou seja, três anos antes da chegada do Hulk ao Atlético e puseram no ar ontem. Era uma paulada no atacante, dizendo se tratar de, “no máximo voluntarioso”, que “deu sorte na vida” de jogar na seleção brasileira.


Claro que este “corte” foi parar no twitter @bcbigode e eu não perdi a oportunidade de zoar o Lélio, que, com razão, foi à réplica: “este é um vídeo velho; quando o Hulk chegou ao Atlético só teve elogios de minha parte: pra jogar no Brasil dá!”


E lançou o desafio: “quero ver se você tem uma coluna o elogiando em 2014”.


E é verdade. Até vir para o Atlético, Hulk era pouco conhecido no Brasil e elogios ao futebol dele eram raríssimos.
Calou a boca de todos que o detonaram