segunda-feira, 15 de julho de 2024

Parabéns a Rivelino pelos 78 anos, ele que em 1986 “perdeu” a cabeça no México

Ele era “esquentado” dentro de campo, mas fora, educadíssimo e muito solícito. Perdeu a cabeça no dia da abertura da Copa do México apenas nessa foto, quando era entrevistado por mim, no Estádio Azteca, onde ele brilhou na Copa do Mundo de 1970, ajudando o Brasil a conquistar o tricampeonato mundial.


A história da foto é simples: na maior boa vontade o saudoso comentarista Alair Rodrigues pegou a minha máquina fotográfica para registrar este momento importante para mim, em minha primeira cobertura de Copa do Mundo, pela Rádio Inconfidência. Só que ele não era bom de “mira” e simplesmente cortou a cabeça do Riva. Como naqueles tempos o resultado das fotos só era conferido tempos depois, quando o filme era revelado, tivemos essa surpresa, da “mutilação” do grande ex-craque.
Ídolo no Corinthians (1965 a 1974), depois no Fluminense, três Copas do Mundo, Roberto Rivelino, é paulista, da capital, nascido em 1º de janeiro de 1946.


Apesar de todo o prestígio como um maiores jogadores da história do nosso futebol, sempre foi de uma simplicidade impressionante no trato com a imprensa e com as pessoas em geral. Fora de campo, frise-se, já que, dentro, tinha pavio curto. Entrou para a história a perseguição que ele sofreu no Maracanã, do lateral esquerdo Ramirez, depois de um Brasil 2 x 1 Uruguai pela Copa Atlântico, em 1976.


O uruguaio esperou o árbitro apitar o fim da partida para tentar dar o troco de um soco que levou do Riva durante os 90 minutos. Não conseguiu. Apanhou de quase todo o time brasileiro, mas o tombo que o Rivelino levou durante a fuga também entrou para a história. O perfil @CuriosidadesBRL lembrou o lance nesta segunda-feira:

Rivelino era também o maior ídolo e inspiração de Diego Maradona que falou isso em várias entrevistas durante a sua vida. Como nessa ao Luciano Júnior, na TV Bandeirantes em 1993:

Durante a Copa de 2014, a rede de televisão argentina Telesur, promoveu encontro entre eles no programa ”De Zurda” (De Canhota), apresentado por Maradona.

Foto: Divulgação

Chegando ao Estádio Azteca para a abertura da Copa de 1986, Alair Rodrigues, o autor da foto (esq.), eu, o ex-árbitro e comentarista José Alberto Teixeira e o locutor Vilibaldo Alves. Infelizmente o Alair se foi em maio de 2012, o José Alberto em outubro de 2021 e o Vilibaldo em junho de 1994.

Fonte: Blog do Chico Maia