quarta-feira, 24 de abril de 2024

Moradores de Conceição do Mato Dentro fazem petição contra atendimento da Copasa

Abaixo assinado já ultrapassa 500 assinaturas reivindicando melhores condições do serviço prestado e baixa nos valores praticados

Foto: Reprodução Change

Moradores de Conceição do Mato Dentro estão realizando um abaixo assinado online contra atendimento da Copasa no município. Mais de 500 pessoas já assinaram documento que reivindica melhores condições do serviço prestado e baixa nos valores praticados. Petição será encaminhada para Organização Mundial da Saúde, Ministério Público Federal, Ministério Público de Minas Gerais e Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Iniciado por um perfil intitulado Ecoar Cultural Ambiental em 1º de janeiro de 2024, o documento afirma que “as reclamações da falta de água, preço alto, aferição e/ou hidrômetros duvidosos, em Conceição do Mato Dentro, crescem exponencialmente, dia após dia, mesmo durante o período de chuvas.Por conta disto, estamos provocando este abaixo assinado e o resultado dele será encaminhado às autoridades”. 

A campanha está sendo realizada pela plataforma Change e “podem fazer parte deste documento, assinaturas de moradores afetados pelo serviço ofertado pela COPASA e todos aqueles que queiram colaborar para buscarmos um resultado digno”, diz o documento.

“Os serviços básicos públicos são garantidos pela Constituição do Brasil enquanto direito de bem estar social dos cidadãos e cidadãs.  De acordo com  pesquisa do IBGE  em 2021,  41% da população vive com até 1/2 salário, sendo que o município tem a 3° maior arrecadação de Minas Gerais. E ainda sem garantia de água tratada. Isso é cruel e desumano. Seja solidário e responsável. Nós dizemos não ao sucateamento de serviços públicos básicos de Minas Gerais. Um pequeno gesto é capaz de fazer valer nosso direito como cidadão, conforme Resolução 64/A/RES/64/292, que diz: ‘O acesso à água e ao saneamento básico é um direito humano fundamental, reconhecido pela ONU como condição essencial para o gozo pleno da vida e dos demais direitos humanos’.”, afirmam os proponentes da campanha.

Da Redação

Anuncio #1
Anuncio #2
Anuncio #3