sábado, 13 de julho de 2024

Manifesto marcado para este sábado pelo asfaltamento de trecho entre Sete Lagoas e Araçaí

Foi aprovado em 2021 o Projeto de Lei 2.508/21, que prevê a destinação de R$ 11 bilhões do total de R$ 37,7 bilhões do acordo com a Vale, pelo desastre de Brumadinho. No texto apreciado na casa legislativa foi aprovado o asfaltamento do trecho da MG-238 que interliga Sete Lagoas a Araçaí, além dos valores necessários para a retomada e conclusão das obras do Hospital Regional de Sete Lagoas.

Boa parte da estrada é de terra do trecho de cerca de 40 km. Foto: Arquivo/Sete Dias

Porém, nada ainda saiu do papel e uma manifestação está marcada para este sábado, às 15h, na estrada de terra (MG-238), próximo à entrada para o Paiol. São esperados que 40 km sejam asfaltados. A empresa vencedora da licitação chegou a ser divulgada, a BALI-Baeta Logorio. Porém, problemas relacionados à Cemig também se tornaram empecilho para que a obra fosse iniciada, mesmo com a ordem de serviço já concedida.

Confira entrevista com Antônio Augusto Simão Neto , vice-presidente da ACEA – Associação Comunitária de Estiva e Adjacências (ACEA)., morador da região e um dos integrantes do movimento que uniu a população de Estiva, Paiol, Estreito, Silva Xavier, Carvalho de Almeida, Araçaí e adjacências:. A ACEA ressalta que trata-se de uma manifestação pacífica.

Quem são os manifestantes e os envolvidos com a causa?

Os manifestantes envolvidos com a causa da obra de asfaltamento da estrada Sete Lagoas – Araçaí, são todos os representantes, moradores e usuários da estrada. As principais comunidades são: Estiva, Paiol, Estreito, Silva Xavier, Carvalho de Almeida, Araçaí e adjacências.

Os diversos grupos da região iniciaram um movimento de indignação em defesa da realização de um protesto organizado. As comunidades entenderam que ficar no silêncio e na passividade não vai contribuir para que ações concretas aconteçam em prol dessa estrada. Então, o grito de socorro pela estrada foi lançado e todos se alinharam em prol desse protesto.

Já vem de décadas o clamor e a insatisfação de todas as comunidades que dependem da Estrada que liga Sete Lagoas – MG, a Araçaí – MG, um percurso em torno de 28 km, com pelo menos 90% do seu trajeto sendo de terra e cascalho, com áreas degradadas por assoreamento pluvial, pontes estreitas e de alto risco, estreitamento de trechos pelo excesso de vegetação às margens e manutenção precária. Excesso de poeira, buracos, valas, etc., vem ocasionando prejuízos às comunidades e usuários da estrada, muitas vezes com danos irreparáveis, quando acontecem os graves acidentes.  Com um tráfego intenso que por sí já se justifica o asfaltamento, a inércia do poder público até então não conseguiu dar uma resposta contundente, faltando iniciativas concretas para a realização da obra.

A população chegou ao seu limite!

Tudo isso culminou na organização de um ato público, pacífico, que vai acontecer neste sábado, às 15:00h, na estrada, próximo à entrada para o Paiol.

Chegou a ser divulgado o nome da empresa vencedora da licitação,  em 2022. O que aconteceu de lá pra cá?

Importante frisar que a verba para o asfalto da estrada SL – Araçaí faz parte do Acordo-Vale. E o projeto acontece em etapas. Assim, a etapa que antecede a licitação para execução da obra envolve o Projeto de Engenharia (topografia, estudo de solo, licenças, etc.). Somente após esse projeto finalizado é que vem a fase de licitação para a execução das obras. Aconteceram atrasos no projeto de engenharia e este ainda não foi finalizado. E neste percurso, aconteceu um fato novo: a instalação, pela Cemig, de aproximadamente 60 postes no percurso da estrada, que segundo o DER, não está em conformidade técnica com o projeto.

Quanto tempo existe a demanda e como a não realização afeta os moradores?

A demanda pelo asfalto na estrada SL – Araçaí vem de décadas de promessas não realizadas. Se naquela época já se justificava a obra, hoje o tráfego é inúmeras vezes maior, e as necessidades são ainda mais latentes. O tráfego de carros, motos, ônibus, caminhões, etc., é intenso, e se agrava ainda mais nos finais de semana e em épocas festivas, provocando sérios acidentes, devido ao excesso de poeira, valas abertas, buracos, pontes precárias, etc. 

Sobre o Acordo-Vale, a espera acontece desde quando a estrada foi indicada e aprovada como projeto importante e indispensável para o desenvolvimento regional (2020).

A falta da estrada pavimentada impede e trava o desenvolvimento da região.

Quais são os próximos passos ?

Diante de tantos fatos e tanta indignação, em especial pelo surgimento dos referidos postes da Cemig num trecho da estrada, uma reunião com o Diretor Geral do DER, Sr. Rodrigo Tavares aconteceu no dia 03/04/2024, às 15:30h, no escritório do DER- MG, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. Participaram desta reunião representantes das comunidades da Estiva (Diretores da ACEA), Silva Xavier (Diretores da Associação de Silva Xavier), e representantes das Comunidades de Carvalho de Almeida de Araçaí, acompanhado do Dep. Douglas Melo.

Nos próximos dias, O DER vai enviar uma visita de uma equipe técnica na estrada no sentido de buscar alternativas para estancar mais atrasos no projeto. E em paralelo, estão sendo cobradas providências à Cemig e ações mais enérgicas do Governo do Estado em função da realização da obra.