segunda-feira, 15 de julho de 2024

Greve suspensa! Turi garante que não haverá paralisação neste final de semana e comenta sobre aumento da tarifa para 2024 em Sete Lagoas

Acordo entre concessionária e sindicato suspendeu indicativo de greve; Prefeitura intervém no reajuste tarifário e passagem aumenta somente 7% indo para R$4,85 em dinheiro

Foto: Acervo

Após uma semana intensa de debates acerca do transporte coletivo de passageiros em Sete Lagoas, enfim os cidadãos podem ficar tranquilos que não haverá paralisação neste fim de semana de Natal. Uma iminente greve que manifestava contra o atraso nos salários, 13º e vale-alimentação foi suspensa nessa sexta-feira (22) após acordo entre a concessionária Turi e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Sete Lagoas. 

“Nós conseguimos ajustar juntamente com o sindicato e graças a Deus não vai haver paralisação neste momento. Devido a nós termos cumprido todas as atribuições necessárias e ter conseguido acordo sobre a questão de um ticket de alimentação que seria que seria pago dia 25 e vai ser pago dia 27. Então não corre risco deste momento de paralisação e nem de prejuízo à população de Sete Lagoas”, esclareceu o gerente da Turi Danilo Walker em entrevista ao 7 Dias News.

Até o fechamento desta matéria, não conseguimos retorno ao contato feito com o Sindicato.

Tarifa 2024

Foto: Ascom PMSL

Na última quarta-feira (20) se reuniram no gabinete do prefeito Duílio de Castro representantes da concessionária Turi, da permissionária Cooperseltta, da Secretaria e do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, além de uma comissão da Câmara Municipal composta pelos vereadores Ismael Soares, Roney do Aproximar e Eraldo da Saúde. 

No encontro as empresas propuseram um subsídio no valor de R$1 milhão e o aumento da tarifa de R$4,50 para R$5,83, o que foi descartado pelo Executivo. “Embora o contrato vislumbre um reajuste anual, o último foi feito em maio de 2022, há mais de um ano e meio atrás. Levando em conta a inflação do período e o aumento do salário mínimo, chegamos a uma recomposição da passagem de 7%, indo para R$4,85 em dinheiro e R$4,75 no cartão do transporte público, pois não podemos onerar mais os trabalhadores”, avalia o prefeito Duílio de Castro. O reajuste passa a valer a partir de 1º de janeiro de 2024, acompanhando o reajuste das passagens intermunicipais em todo o estado.

A Cooperseltta se manifestou dizendo que fez de tudo para que não houvesse aumento nas passagens, mas na visão do gerente da Turi, “o caminho não é o reajuste tarifário, mas é necessário que a recomposição de custos do sistema seja feita, ela está muito distorcida. A gente teve uns insumos aí para o transporte, mas ele disparou no decorrer desse período que a gente está sem reajuste tarifário e é onde isso vem agravando o prejuízo da empresa”.

Outras medidas tomadas pela Prefeitura nesta semana em relação ao transporte coletivo

Para dar rápido fôlego financeiro às empresas para que possam cumprir seus compromissos com seus funcionários, o Município protocolou na Câmara Municipal o Projeto de Lei Ordinária (PLO) 585, que “dispõe sobre o Programa Municipal de Incentivo à Recuperação Fiscal da Concessionária e do Permissionário do serviço de transporte municipal”, o Pró-Transporte. Em sua, o programa concede benefícios para o parcelamento dos débitos tributários ou não tributários dessas empresas junto ao Município, com 100% de desconto em multas e juros devidos, uma espécie de “anistia” fiscal, o que deve dar uma folga orçamentária de aproximadamente R$200 mil às empresas.

Outra medida adotada pelo Executivo Municipal foi a antecipação dos valores de janeiro referentes ao programa “Tratamento Fora do Domicílio” (TFD), custeado pela Prefeitura, que transporta pacientes regularmente para tratamentos, exames e consultas em Belo Horizonte. O montante também se aproxima dos R$200 mil pagos antecipadamente. “Acreditamos que, com essas medidas, daremos condições para que as empresas possam honrar seus compromissos com os trabalhadores, colocando um fim ao estado de greve. Afinal, juntos prestamos um serviço essencial para 30 mil passageiros por dia, mais de 900 mil por mês, impactando em toda a dinâmica da cidade”, destaca o secretário adjunto municipal de Trânsito e Transporte, Wagner Oliveira. 

As tratativas tiveram o “de acordo” do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, que se reuniu online na manhã de quinta-feira (21) para tratar da questão: “foi a autorizado que as empresas façam a otimização de algumas linhas, readequando trajetos para que possam transportar mais pessoas para seus destinos em tempo mais hábil. A primeira mudança será em algumas linhas que atendem ao Shopping e que atualmente fazem bairro a bairro. Elas levarão os usuários até o Terminal Urbano, de onde outro veículo terá o Shopping como destino”, anunciou Wagner Oliveira.