sábado, 13 de julho de 2024

A estratégia de construção de marcas e experiências que ficam na memória | por Rúvia Donátila

As marcas mais memoráveis ​​são as que sabem contar histórias convincentes. Histórias que conectam com o público em um nível emocional, gerando identificação e pertencimento. No coração de toda marca memorável reside uma maneira de contar essa história poderosa, uma narrativa que dá vida à marca, conectando valores, desejos e aspirações do seu público.

Marcas que se arriscam a inovar e desafiar o status quo se destacam da concorrência.‌

Sabe aquela ousadia, aquela libertação fora da caixa? Isso pode (e deve!) se manifestar na promoção dos produtos, serviços, comunicação ou em qualquer outro aspecto da marca.

A Nike não vende tênis. Vende uma história de superação, conquista e, lógico, performance. Podemos relembrar esse storytelling na campanha “A Vida é Agora”, desenhada por Marcello Serpa, mostrando um exemplo de criar mensagens impactantes.

Transcender e fixar. Parece conversa de coach, mas o que realmente uma marca precisa é isso. Uma jornada completa, desde o primeiro contato com a marca até o pós-venda. Cada etapa oferece oportunidades para criar momentos memoráveis. As marcas que se distinguem na multidão vão além da mera funcionalidade, proporcionando encantamento e fidelização.

As decisões de compra são muitas vezes guiadas pela emoção. As marcas querem despertar sentimentos positivos, como alegria, entusiasmo ou nostalgia. Elas querem ser lembradas e escolhidas.

“Compre Baton, compre Baton. Seu filho merece Baton”! Se você tem pelo menos 30 anos, acredito que vai se lembrar que na década de 90, a Chocolates Garoto lançou um comercial, onde uma menina interpretando uma ilusionista, “hipnotizava” as donas de casa com um baton em um pêndulo, repetindo essa frase inesquecível. Criada por Washington Olivetto, um dos nomes mais influentes da publicidade brasileira, a propaganda não durou muito tempo, o Conar tirou do ar por “manipulação”, mas até hoje reside em nossas lembranças.

‌Consegue entender o poder das experiências memoráveis? Ainda não? Vamos lá!

Quando você compra um picolé o seu olho vai direto no palito para ver se ganhou outro? É simplesmente por causa de uma promoção que marcou época e você NÃO CONSEGUE ESQUECER. A promoção da Kibon durou apenas três meses, no ano de 1998, mas faz as pessoas até hoje olharem o palito.

Eu nem vou me prolongar e dizer sobre uma certa frase, de um certo siri: Nãnã Nãnããããã. Porque eu sei que automaticamente você será transportado para a propaganda da cerveja Brahma.

‌Isso é uma construção de uma marca em sua memória. Uma experiência que fica!

‌Criar marcas memoráveis ​​é uma arte que requer talento, estratégia e ousadia. Ao entender o público, contar histórias envolventes desperta emoções e oferecem experiências personalizadas, conquistando um lugar especial nos consumidores.